BLOG INED

ENSINO PÚBLICO OU PRIVADO: QUAL A MELHOR OPÇÃO?

30. JAN. 2020

É um dos maiores dilemas dos encarregados de educação. Alvo de debate em praça pública. Falamos da escolha entre ensino público ou privado, que se reacende a cada novo ano letivo quando os pais têm de tomar uma (grande) decisão em nome dos filhos.

Ensino público ou privado? É ótimo ter a liberdade de escolha para inscrever o seu filho na escola certa, mas essa decisão causa sempre grande ansiedade porque, no que diz respeito aos estudos, chegar à melhor opção não é fácil. Em primeiro lugar, porque não existe uma escola ideal que sirva da mesma forma todos os alunos. Em segundo lugar, porque como cada caso é um caso, tem de analisar os interesses e as preferências do seu filho antes de tomar uma decisão que (em terceiro lugar) deve levar também em linha de conta os seus desejos e exigências e o equilíbrio da família. Enfim, é um verdadeiro desafio escolher entre ensino público ou privado. E pior ainda é viver com essa escolha, interrogando-se constantemente: “e se…”
Aceita um conselho? Não arrisque no que toca ao futuro do seu filho! Leia este artigo e saiba tudo o que deve considerar antes de escolher entre uma escola pública ou privada. 

Ensino público ou privado: como escolher?

Se o ensino público e ensino privado não tivessem ambos vantagens e desvantagens a escolha tornava-se mais simples. Mas como são dois sistemas com claros benefícios para os alunos, a “batata quente” passa diretamente para si que tem de identificar aquele que melhor se ajusta aos interesses do seu filho e da sua família. O investimento financeiro tem de ser avaliado, sim, mas nesta equação entram mais variáveis como a localização, horário, transporte, segurança, corpo docente, projeto educativo, atividades extracurriculares e outros pontos a analisar para escolher entre ensino público e ensino privado. Vamos conhecê-los?

Avalie o esforço financeiro

Toda a gente sabe que os colégios privados cobram mensalidades relativamente elevadas, enquanto as escolas públicas são, por assim dizer, gratuitas. Mas isso não significa que as famílias abastadas tenham os seus filhos a estudar em colégios e as famílias mais carenciadas, em escolas públicas. Há casos de pessoas com grande liberdade económica que preferem ter os filhos a estudar no público e de outras que com grande esforço, colocam os filhos em colégios privados. Por isso, há que fazer contas. Se a sua situação financeira o permitir, considere um colégio, mas se corre o risco de endividamento só para ter o seu filho no privado, lembre-se que os benefícios que daí advirão podem não compensar um desequilíbrio familiar, que irá acabar por os afetar a todos. 

Compare a localização, horário e transporte

Para conseguir tomar uma decisão entre ensino público ou privado também deve avaliar a proximidade das instituições com a zona onde vive, o horário e ainda os meios de transporte, sejam públicos ou privados. Por outras palavras, se tem forma de levar e ir buscar por meios próprios o seu filho ao colégio ou de pagar o transporte privado, é natural que estes itens não sejam de grande monta. Mas se o colégio fica longe da sua área de residência e não tem forma de delegar o transporte, é possível que não seja a melhor opção para o seu filho. Por outro lado, se o seu horário de expediente é complicado, inscrever o seu filho numa escola pública é sempre um risco porque os horários são mais limitados do que os horários dos colégios particulares, onde alguém ficará a tomar conta dele até chegar do trabalho.

Visite os estabelecimentos de ensino

Ver para crer! É verdade que no ensino público as visitas dos pais à escola não são comuns, mas são possíveis. Tal como é verdade que nos colégios essas visitas são, inclusive, instigadas de modo a que os pais e encarregados de educação possam ver a possível futura escola dos filhos em pleno funcionamento e tomar nota das suas infraestruturas. Em ambos os casos, antes de tomar uma decisão deve visitar as escolas que tem nos dois pratos da balança, de modo a constatar qual é a mais indicada para o seu filho. E aproveite a visita para dar uma vista de olhos à cantina, aos laboratórios, ao ginásio e para falar com alguém da direção ou até com funcionários, alunos e professores da escola, de modo a sair com uma opinião formada.

Verifique se a escola é segura

Seja uma escola pública ou privada, o seu filho vai lá estar durante várias horas por dia, correto? Nesse sentido convém escolher um local onde ele se sinta bem, mas que lhe garanta a si que está seguro. A visita à escola pode ajudar a verificar a questão da segurança (e já agora também da higiene), mas não se fique por aí: pesquise em fóruns na Internet e fale com outros pais que tenham os filhos a estudar nas escolas que está a equacionar.

Descubra o corpo docente e qualidade de ensino

O seu filho merece os melhores professores e o melhor projeto educativo do mundo! Não poupe esforços na hora de descobrir quem são os professores que constituem o corpo docente da escola – seja pública ou privada – que está a considerar e peça para ler o seu projeto educativo. Os pais devem estar informados sobre o método de ensino da escola onde pretendem inscrever os filhos, incluindo atividades extracurriculares, plano individuais de acompanhamento e até número de alunos por turma.

Pesquise por mais informações

Com informações sobre escolas públicas e privadas a um clique de distância, não há motivo para deixar de fazer as suas pesquisas antes de tomar a grande decisão: ensino público ou privado? Da análise à oferta educativa às informações dos espaços, passando por elementos sobre o corpo docente, oferta extracurricular, localização, horário, mensalidade e até testemunhos de ex-alunos… há um pouco de tudo na Internet. E se for necessário, peça a opinião dos seus familiares e amigos ou de outras pessoas que já tenham passado pelo mesmo impasse… com o tempo encontrará a escola mais adequada para o seu filho, seja uma escola privada ou pública.

Peça a opinião do seu filho

Mesmo que entenda que o seu filho ainda é pequeno para opinar e que deve ser você a tomar decisões por ele, é sempre boa ideia inquiri-lo sobre o assunto. Se não o escutar pode acontecer inscrevê-lo numa escola em que não se sente adaptado nem feliz, seja uma escola pública ou privada. E bem sabemos que mais do que bem-sucedido profissionalmente, deseja que o seu filho seja feliz, não é verdade? Se estiver feliz e interessado em aprender, seguramente que lhe escolheu a melhor escola. Se pelo contrário, estiver desanimado e a apresentar notas escolares baixas, é caso para rever esta nossa lista com dicas para escolher entre escola pública e privada, porque é possível que não tenha acertado à primeira. Em todo o caso, lembre-se de que não é só a escola X ou o colégio Y que formam o aluno, o meio que o rodeia também interfere na sua motivação (ou falta dela) para estudar e ser, no futuro, um profissional competente e empenhado.

E por fim, lembre-se de que todos os pais querem para os filhos mais do que eles próprios tiveram, e isso leva-os muitas vezes a optarem por colégios particulares, embora não seja assim que devam fazer a escolha. Também devem ser considerados todos os pontos acima mencionados, tendo em atenção que tanto há alunos que apresentam excelentes resultados em escolas públicas como em colégios particulares. Ainda assim, também é verdade que as escolas privadas, regra geral, têm maior qualidade de ensino, professores mais envolvidos nos seus projetos educativos, grande foco no acompanhamento individual e uma oferta diversificada de atividades.

Decidiu inscrever o seu filho num colégio particular no Porto? Então convidamo-lo a marcar a sua visita ao INED. Teremos muito gosto em recebê-lo!di