BLOG INED

COVID-19: Plano de Contingência

11. MAR. 2020

De acordo com as últimas indicações e recomendações da DGS (Direção-Geral de Saúde) e com os desenvolvimentos referentes à propagação do Covid-19 na Europa, gostaríamos de informar o reforço das medidas preventivas adotadas pelo Colégio e o desenvolvimento do presente plano de contingência, com o objetivo de proteger e preservar a saúde de toda a comunidade educativa. 

A Direção do Colégio INED aprovou o presente Plano de Contingência no âmbito da infeção do novo Coronavírus SARS-CoV-2, agente causal da COVID-19, que irá permitir que se enfrente, de modo adequado, as possíveis consequências de infeção por COVID-19.

Este plano está dividido em cinco partes:

  • Coordenação da implementação do plano;
  • Medidas de prevenção;
  • Medidas de isolamento;
  • Ação em caso de ausência de alunos e de colaboradores docentes e/ou não docentes;
  • Outras medidas gerais a adotar.

Apresenta-se assim o Plano de Contingência, considerando-o adequado neste momento. O mesmo poderá́ sofrer alterações face a novas orientações ou acontecimentos, tendo em conta a evolução do quadro epidemiológico da COVID-19.

(A) Coordenação da implementação do plano

1. A coordenação do plano de contingência é da responsabilidade de Carla Marques e Rita Duarte, que poderão ser contactadas através dos e-mails crodrigues@ined.pt e rfduarte@ined.pt.
2. No polo I, sito na sua do Marechal Saldanha n.º 1374, a coordenação é representada pela professora Carla Marinho, responsável pela implementação de todas as medidas nesse mesmo local.
3. Qualquer ação no âmbito do plano deverá ser prontamente comunicada aos coordenadores que farão a articulação necessária com as autoridades (Serviços de Saúde, Direção-Geral de Saúde, Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares) e com os Encarregados de Educação.
4. As coordenadoras são responsáveis pelo plano junto de todo o pessoal docente, alunos, pessoal não docente e restante comunidade educativa, sendo os destinatários preferenciais de qualquer dúvida na implementação deste plano.
5. Cada responsável intermédio (SPO, serviços administrativos, cantina, bar, auxiliares de ação educativa, de vigilância e segurança), é responsável por garantir que as pessoas da sua equipa cumprem as medidas de higiene e outras definidas no plano.

(B) Medidas de prevenção

A DGS informa que a COVID-19 pode transmitir-se:
1. Por gotículas respiratórias (partículas superiores a 5 micra);
2. Pelo contacto direto com secreções infeciosas;
3. Por aerossóis em procedimentos terapêuticos que os produzem.

Nesta conformidade, como medidas de prevenção básicas, apenas serão desenvolvidas as atividades letivas estritamente necessárias (aulas). Neste sentido, serão suspensas todas as atividades que implicam encontros de grandes grupos, nomeadamente: viagens, visitas de estudo, conferências, seminários, festividades, entre outras.

Como medidas preventivas é obrigatório que todos os elementos da comunidade educativa adotem os seguintes comportamentos:
1. Lavar frequentemente as mãos, pelo menos durante 20 segundos, com água e sabão;
2. Na impossibilidade de lavar as mãos deve ser utilizado um desinfetante para as mãos que tenha pelo menos 70% de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas;
3. Tossir ou espirrar para a prega do cotovelo, ou usar lenço de papel; higienizar as mãos após o contacto com secreções respiratórias e deitar os lenços de papel no lixo;
4. Adotar os seguintes procedimentos de conduta social: alterar a frequência e/ou a forma de contacto; evitar o aperto de mão e saudação com beijos;
5. Não partilhar objetos nem comida;
6. Não entrar no espaço escolar se tiver febre, tosse ou dificuldades respiratórias;
7. Evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca com as mãos sujas e/ou contaminadas com secreções respiratórias.

(C) Medidas de isolamento

1. Em caso de suspeita de infeção do próprio ou de terceiro, todos os membros da comunidade educativa têm o dever de contactar imediatamente as coordenadoras;
2. Havendo relevância na suspeita, a pessoa será dirigida imediatamente para a sala de isolamento:

Polo 1 – gabinete 1;
Polo 2 – sala 15B.

3. O coordenador do plano comunica imediatamente o caso às autoridades de saúde SNS 24 (808 24 24 24) sendo a partir daí seguidas as instruções que forem dadas por estas autoridades.
4. Tratando-se de aluno, é imediatamente avisado o encarregado de educação.
5. A pessoa em isolamento é acompanhada no polo 1 por André Silva e no polo 2 por Ana Luísa Oliveira.
6. A pessoa com sintomas deve colocar a sua própria máscara e ajustá-la à face, de modo a permitir oclusão completa do nariz, boca e áreas laterais da face. Além disso, deve usar luvas descartáveis.
7. O acompanhante do caso suspeito deve colocar, previamente, máscara cirúrgica e luvas descartáveis.
8. Na situação de caso suspeito validado, o acesso à área de “isolamento” fica interditado até à validação da descontaminação (limpeza e desinfeção) pela Autoridade de Saúde Local. Esta interdição, só poderá ser levantada pela Autoridade de Saúde.
9. A comunidade educativa será informada se o caso suspeito foi ou não confirmado, de modo a se manter a serenidade da comunidade educativa.
10. Na sala de isolamento deverá haver uma cadeira ou marquesa, água engarrafada, pacotes de bolachas e contentor do lixo de abertura não manual e respetivo saco do lixo.
11. No exterior da sala deve existir máscara cirúrgica, luvas descartáveis e solução antissética de base alcoólica para utilização pelo acompanhante do caso.

(D) Ação em caso de ausência de alunos e de colaboradores docentes e/ou não docentes;

1. Em caso de isolamento preventivo de um docente, o modo de acompanhamento dos seus alunos será determinado pela direção pedagógica.
2. Em caso de isolamento preventivo de um aluno, compete ao professor titular de turma / diretor de turma, em articulação com a direção pedagógica e o encarregado de educação, definir tarefas a desenvolver pelo aluno de modo a diminuir o impacto do isolamento no seu percurso escolar, havendo a possibilidade de poder assistir remotamente às atividades letivas.
3. Em caso de isolamento preventivo de um colaborador docente ou não docente, a reorganização do seu serviço, quando não puder ser realizado à distância por meios eletrónicos, será determinado pelo seu superior hierárquico.
4. Na eventualidade de um elevado número de profissionais ficar impossibilitado de comparecer no Colégio e de as condições mínimas de funcionamento não estarem asseguradas, o Colégio será encerrado. O encerramento pode ser determinado pelas autoridades de saúde.
5. Nesta eventualidade, a direção enviará a toda a comunidade educativa informação regular sobre o período de encerramento e as medidas de vigilância a adotar. Esta comunicação será efetuada por e-mail.

(E) Outras Medidas gerais a adotar

1. Colocação de cartazes ilustrativos de uma boa higienizarão das mãos em todos os locais onde esta possa ser feita (WC, entrada da Escola, cantina) sensibilização pelos educadores/professores, em contexto de sala de aula, para as regras de lavagem das mãos e às regras de etiqueta respiratória.
2. Limpeza e arejamento de todos os espaços utilizados pela comunidade educativa será feita diariamente.
3. Os docentes, alunos e demais acompanhantes que tenham regressado ou que tenham estado em contacto próximo e direto com quem tenha regressado de países, ou zonas de risco para a infeção pelo COVID-19, identificados pela DGS, devem, nos 14 dias subsequentes, monitorizar o seu estado de saúde, medindo a temperatura corporal duas vezes ao dia, registando os valores e estar atentos a tosse ou a dificuldades respiratórias.